terça-feira, março 07, 2006

Des(ilusão)

Nunca vos aconteceu desejarem bem a uma pessoa? Depositarem sonhos e esperanças de um futuro melhor nesse objecto de afeição? Um amor que nada tem a ver com o amor romântico mas apenas e só com a mais profunda amizade. Uma amizade que julgaramos nós ser recíproca. Presos por uma admiração cega que nunca nos levaria a lado algum. Ao invés de sentir-nos fortalecidos e confiantes pela amizade, decaímos, tornámo-nos uma sombra do que uma vez fomos. E mesmo depois de avisados continuámos a insistir no erro. Pensámos que aquilo era um engano. Só nós estavamos certos, todos os outros estavam errados, até os que nos amavam. E ficámos sós no nosso engano. E aí entendemos a nossa cegueira, sem ninguém não eramos ninguém. E sem ninguém, aquele alguém já não nos queria. Custou a entendê-lo, e o choque foi brutal, o erro fora sempre nosso e não podiamos voltar atrás no tempo. Sem querermos e com uma tremenda mágoa tivemos que reviver tudo aquilo que experienciámos para encontrar, não momentos maravilhosos mas engano e decepção. Um vampiro tinha-nos seduzido. Ele viu-nos cheios de todas aquelas coisas lindas que ele tanto queria e quis tomá-lo para ele. Quis tomar até à nossa última gota de sangue ciente de que nós definhariamos com a sua pérfida acção. O vampiro deixa-nos fracos mas o seu poder, o poder que nos tomou não durará para sempre. Terá que arranjar uma nova vítima. Nós? Podemos recuperar alguns dos laços perdidos e florir mais uma vez. A dor é que não desaparecerá, apenas se torna mais fácil com o tempo. Quisemos, por uma vez ser ingénuos e acreditar. Uma pessoa viu a nossa vontade de confiar e aproveitou-se. Não mais voltaremos a confiar, não daquela forma. E é pena, não por aquela pessoa que é má, mas por nós que perdemos uma inocência que nunca será resgatada.

6 comentários:

Spitfire disse...

Não é pena por esse "ser"... mas sim por alguém que virá à posteriori, que não merecerá uma entrega menor da tua parte, mas não a vai ter... devido a essa cicatriz. Nomyia, esforça-te por julgar as pessoas correctamente... não deixes que te façam isso (como eu deixei)!

Pássara disse...

Quem não teve pelo menos uma desilusão na vida?
Pois é, eu não sou essa exepção. Tive uma amiga (não sei se lhe posso chamar isso, sinceramente não sei), que de repente deixou de o ser, se me perguntares porque foi,eu não te sei dizer porque simplesmente ela deixou de me procurar quando se calhar já não precisava de mim porque tinha outro alguém. Não viviamos uma sem a outra e hoje quando telefonamos uma à outra (por obrigação e porque se não telefonarmos no dia do aniversário parece mal) simplesmente não existe assunto para falar...
Não sei o que penso dela, não sei o que sinto quando a vejo... mas não é uma sensação confortável.
Não vou deixar, que mais ninguém me desiluda assim, disso tenho a certeza!

negative creep disse...

já me aconteceu coisas parecidas. quando precisam de alguém sabem onde nos encontrar, enquanto não precisam não se lembram das pessoas. tb tive gente que eu chamava de melhores amigos e já não falo com eles há anos. cada um seguiu a sua vidinha e ficou por aí.


e quando somos capazes de dar tudo por uma pessoa, chamamos amiga, estamos lá sempre pra ela e depois essa pessoa vira nos as costas sem razão. teve o que queria, não precisou mais por isso acabou. se precisar volta a aparecer...

eu cheguei a conclusão que não vale a pena sacrificarmo nos por ninguém. claro que há excepçoes, que merecem, mas é dificil de ajuizar e são muito raras...

Nomyia disse...

Pois. Desilusões todos temos, e todos desejamos que estas não voltem a acontecer. A dada altura ficamos indecisos será que uma certa pessoa merece a nossa entrega? Será que ela vale a pena ou será nova desilusão? Enfim...vamos vivendo e aprendendo:)
*****

Alien David Sousa disse...

E a isso chama-se viver. Descobrir que a vida é feita de quedas/desilusões/ilusões; mas, acima de tudo é feita de descobertas e da aprendizagem, o saber e ter forças para se reerguer é o mais importante.

Fica bem

Racas disse...

Eu sou daquelas parvas que acreditam sempre nas pessoas. Eu parto sempre do principio que são boas pessoas e que merecem a minha confiança. Já dei tantas quedas por causa disso, mas continuo a fazer o mesmo. Porque eu acho que não posso julgar as pessoas baseada em outras pessoas. Sou estupida... confio na primeira impressao que tenho das pessoas e depois logo se vê. É triste quando temos alguém que acreditamos que vai ser nosso amigo para sempre, que vai ao nosso casamente, que vai ser madrinha dos nossos filhos e de repente essa pessoa desaparece, de repente, do nada. Arranjou um namorado que não gosta de nós e ela afastou-se. Dps de tanta coisa que vivemos juntas, tantas maluqueiras. E com a Pássara ainda viveu mais coisas... Foi muito mau.
E mais recentemente aconteceu-me na faculdade. Como a ti, tb me diziam para me afastar, que só ia ser meu amigo enquanto precisasse. Mas eu não liguei. Tinha uma amizade muito grande por ele e pensava que ele também tinha por mim. Um dia, deixou de se sentar ao nosso lado, já não almoçava connosco, ia na outra ponta do metro. E quando confrontado com a situação diz que não se passa nada. Custa tanto, doi imenso. Nessas alturas dou graças aos céus por ter amigos de verdade, que eu sei que nunca me farão mal. Eu nunca vou conseguir exprimir por palavras o quanto eles significam para mim e que namorado nenhum do mundo me mantinha afastada deles.