sábado, abril 12, 2008

Não é só uma questão de geografia!

Admito desde já que não gosto dos americanos. Por isso, a minha opinião fica logo muito enviesada, mas que 'sa lixe' o blog é meu, quem não gosta que não coma! Faz-me muita confusão que a nação mais poderosa do mundo (só resta saber por quanto tempo) seja tão absorvida e abcecada consigo mesma e não consiga olhar das fronteiras. A Europa é um país? A África é um país pobre que fica na Ásia? Os Australinos moram ao lado dos ingleses down under? Ok, faz-me impressão quando me dizem que Portugal é uma província espanhola e que por cá se fala espanhol, mas admitamos que o país é bem pequeno e não tem expressão nenhuma! a nível global. Aborrece-me imenso a ignorância de quem tem o mundo a seus pés e pura e simplesmente não se interessa pelo que o rodeia. E ainda mais... americanos que vivem nas principais cidades do país, expostos a todo o tipo de órgãos de comunicação não saberem quem são os candidatos às próximas eleições presidenciais. Helloooooo? Em que mundo é que vivem? Talvez no da Miss South Carolina!!!





8 comentários:

Gardagami disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
john disse...

tomas a parte pelo todo.

na verdade, essa "burrice" americana é um dos mitos urbanos europeus mais deliciosos. não por acaso, nos rankings mundiais as universidades americanas surgem no topo (e, pasme-se, universidades da índia, por exemplo).

se elaborares um questionário - e nem tem de ser muito complexo - e o apresentares a estudantes universitários portugueses, vais rir imenso com as respostas. sim, sabem identificar uma boa parte dos países europeus, sabem onde são os estados unidos, etc. mas pouco mais.

de resto, há uns tempos houve um questionário interessante entre universitários brasileiros, que demonstrou que uma percentagem gigantesca não sabia identificar a frança num mapa político. serão os brasileiros todos burros por isso?

Alien David Sousa disse...

Oi Nomya, claro que concordo contigo, não há como não concordar, mas tendo eu amigos em NY que sabem aonde ficam Portugal e que são extremamente inteligentes tenho de acrescentar algo aqui ao teu texto.

Os USA vivem num micro-cosmos. Passo a explicar - isto sem entrar no sistema de educação- o que se passa é o seguinte. Os USA têm 50 estados e ao contrário do que se passa em Portugal, em cada Estado dos USA existe uma estação de televisão que transmite as noticias. Vamos tomar o exemplo de ATLANTA, neste estado existe uma estação de televisão que é a OFICIAL a que o "povo" vê e que transmite as noticias locais e as que se passam nos estados unidos, ora esta estação pouco ou NADA passa do que se esta a passar no mundo. Aqueles que têm acesso à CNN podem obter essa informação, mas com a correria do dia a dia, tal como cá, quando se sentam à mesa colocam na SIC , isto é na estação que vêem com regulariedade em Atlanta. Se pensares no estado de OHIO, o mesmo se passa, eles têm uma televisão local que os informa do que se passa no pais e pouco/ nada sabem do que se passa no resto do mundo.
Como te disse todos os estados dos USA têm uma estação de televisão. e por exemplo o que se passad no noticiàrio em Atlanta não tem nada a ver com o que se passa no da California ou no de Georgia. Assim, eles estão muito limitados. Se falarmos de NY, a história é outra, a cultura é outra, as pessoas são mais informadas porque o mundo das artes é muito forte e os artista ( escultoures, pintores, fotogrados etc) querem estar na linha da frente e para o estarem tem de ter informação, sem ela nada conseguem. NY é um caso muito especial.

Quanto ao sistema de ensido, é mau! É péssimo! Mas pensa nisto: imagina que portugal estava dividido em pequenos estados e nesses estados as televisões apenas passavam por exemplo informação que tivesse a ver com o alentejo, ou com o norte, os jovens nada saberiam do que se estava a passar no munda lá fora...ok existe a internet, mas são poucos os jovens que a usam para pesquisar sobre politica etc

Resumindo, a televisão tem um papel extrememamente importante na cultura de um país. E os USA são a prova.

Beijinhos
p.s
não os estou a defender, apenas a expor aqui um dado que já tinha discultido com outros americanos , foram eles prórprios que me explicaram o que aqui descrevi

Nomyia disse...

John: Não me surpreende (nada!) que as universidades americanas estejam no topo dos rankings e ainda menos as indianas (felizmente ainda vejo algum discovery :D)!

Os americanos não são as criaturas mais ignóbeis à face da terra! Mas não gosto deles e infelizmente a minha opinião é reforçada com muita facilidade e não, não tem que ver com a questão geográfica, mas com muitos outros motivos. Generalizei? Muito provavelmente. Fui injusta? Talvez. Mas eu avisei.
*****

john disse...

Apenas fico curioso sobre o que reforça esse preconceito.

john disse...

alien,

há tempos, no decurso do meu trabalho, entrevistava um gestor com largo conhecimento sobre o que se passa lá fora. e, como sempre acontece nas minhas entrevistas, as conversas em "off" são o mais interessante. ora o tal senhor disse-me o seguinte:

"É verdade que um estudante do secundário em portugal tem uma 'cultura geral' mais alargada do que um equivalente americano (um estudante de uma "high school"). o mesmo acontece no ensino universitário. no entanto, um estudante universitário norte-americano deixa a universidade a saber desempenhar uma profissão, a ser capaz de acrescentar valor à sua actividade - o que não acontece em portugal ou mesmo na maior parte da europa. não tenhas dúvidas de que um quadro emrpesarial americano, no caso de ficar sem emprego, terá à partida a vida facilitada, e se tiver provado o seu mérito, logo alguma outra empresa lhe deitará a mão."

e isto é significativo. dizes que o ensino americano é péssimo; não sei, apesar de os rankings universitários darem algumas indicações contrárias a essa afirmação. mas aceito, porque como disse, desconheço a realidade americana nessa área. no entanto, o ensino em portugal é terrível. repito: terrível.

e um dos motivos principais para isso é o facto de o mérito ter sido palautinamente condenado à irrelevância. no meu curso, eu poderia ter acabado com média de 18 (um 'A' americano), que isso não me abriria mais portas. o mesmo se pode dizer da nomyia. quando o valor académico de um aluno não conta na equação, ou conta menos do que outros factores, então temos um problema.

quanto à questão da televisão, tens toda a razão. esqueces-te apenas de um detalhe: a Internet começa a mudar esse cenário. tanto lá como aqui. eu raramente vejo televisão ou leio jornais, e ainda assim sou uma pessoa bastante informada.

Alien David Sousa disse...

Nomyia, eu quando me referia ao ensino, não me referia tanto às faculdades porque todos sabemos o peso que uma Harvard tem. Eles quando entram para um H. ou Yale, estudam mesmo,porque sabem que podem vir a ter um futuro brilhante.

Quanto ao nosso ensino, nem vou entrar por aí outra vez, já estou tão cansada. Sim, é uma miséria.

A internet,é sem dúvida uma ferramente, mas vê o quadro todo: à estados nos USA aonde os filhos a seguir à escola ainda vão ajudar os pais nas quintas. E muitos outros quando têm tempo querem é jogar playstation. É por isto,e por cada estado estar tão isolado do resto do mundo que os americados sabem tão pouco sobre o que os rodeia.

Isto dava uma grande conversa N. :D

Beijinhos
p.s e sim compreendi tudo o que disseste

Alien David Sousa disse...

"há" e não "à"

Sorry :|