domingo, setembro 10, 2006

Amor com amor se paga

Há dias tive uma conversa com um ex-colega de estudos. Começámos a relembrar belos tempos e fomos dar a uma fase em que ele andava muito preocupado com o início de mais um ano lectivo e eu lhe perguntei qual era o problema... As colegas, dizia-me. Eram umas queridas. Criaturas de marranço tipo book worms, cujo pico da vida social será, digamos, sair para ir tomar um cafézinho uma semana antes do exame de um cadeirão qualquer. Vejam lá que o que o atormentava tinha que ver com o facto de não lhe emprestarem apontamentos. O quê? Ah, és do tipo calão! Não. Então??? São umas agarradas, dizem que têm aquilo tudo planificado e que se emprestarem ficam com o estudo desorganizado, atrasado etc, etc. E isso é quando não garantem que emprestam e depois nunca mais se lembram do assunto.
Comecei a puxar pelos neurónios e cheguei a uma conclusão mais ou menos importante. A filha da putice começa cedo. São apenas apontamentos? Sim, por isso o que é que custa? São apenas a porcaria de uns papéis. Não é um braço ou uma perna! Há pessoal que abusa? Dahhh, isso é óbvio. Cabe-nos a nós não deixar que o façam. Só creio que num espiríto de camaradagem e cooperação, (que não é assim tão abundante quanto isso), o simples acto de empréstimo não faria mal algum.
O futuro são umas dezenas de anos de trabalho com gente mal disposta que ou aturas... ou aturas. E aprendemos bem cedinho que levar uns pontapés nas costas é o que mais há. Mas, reparem que os pontapés começaram por ser umas inofensivas arranhadelas que evoluiram até se tornarem algo mais poderoso. E o irónico disto tudo é que talvez tenhamos sido nós a abrir as hostilidades. Vá meus amigos, não estarão a fazer grande mal à humanidade com um pequeno acto de generosidade. Emprestem lá uns papeizinhos de ca-ca-ra-ca, de vez em quando. Mais que não seja, deixem os meus queridos amigos passar de ano ;)

13 comentários:

Spitfire disse...

Ah, mas vai-te habtuando! Porque depois de se passar meia vida a estudar, entras no mercado de trabalho, e mesmo num local onde tu apenas queres cumprir o que te é pedido, vai sempre haver um "cromo-estúpido-que-nem-uma-porta" a achar que tu estás a crer "trepar". Pois esses, por temerem perder o "poleiro" que tu não desejas, são sem dúvida os piores! Fazem de tudo e acusam-te de tudo se necessário for! Umas bestas! Mas deixa... esses são geralmente "limitados" demais... basta fazeres o "teu" trabalho e vais ver como se fungam (é assim, pelo fungar, que se reconecem as verdadeiras "bestas")

Alien David Sousa disse...

Nomya, o problema é que esses colegas que não querem emprestar os apontamentos a maioria são agarrados porque acham que esses apontamentos contêm dados que permitem tirar notas mais altas do que as dos outros.
Aqui,na escola começa o nojo que se prolonga até à vida profissional. Cada um por si. A tua amiga devia ter uma amiga com quem pudesse contar para os dias em que faltasse por um qualquer motivo, uma verdadeira amiga.
Olha,na faculdade chegaram-me a emprestar os apontamentos mas vê lá tu o azar que eu tive. A parte mais importante para a frequência não constava nos apontamentos. Recorri ao meu ALIEN BRAIN.

Diz à tua amiga uma coisa: As pessoas são MAIORITARIAMENTE MÁS. Quanto ela encontra uma pessoa boa, é uma alegria para a vida, uma benção.
Se ela pensar assim, vais ver que sofre menos ao crescer.

Se fizermos o raciocinio ao contrário, passamos a vida desiludidos ;)

bjs

little_blue_sheep disse...

...distância...quero distância dessa gente...
LOLOL
;)
*

Belzebu disse...

eheheh! Pude aqui recordar os meus tempos de estudante e constatar que nada mudou!

Lembro-me bem de alguns colegas que pensavam que os seus apontamentos eram preciosidades,verdadeiras chaves para o sucesso e que viam com maus olhos a partilha com os colegas!

Felizmente sempre preferi os meus,criteriosamente desorganizados mas que sempre cumpriram a sua missão.

De facto, passaram alguns anos mas ao que vejo os estudantes continuam estranhos no seu relacionamento com os outros.

Na queima sim, tudo se partilha!!!!

eheheheh! Saudações infernais!

mitsu disse...

Acho que sou uma felizarda nesse sentido porque plos meus lados há partilha de apontamentos.

Bjs

negative creep disse...

mitras de merda...



lembro me que eu andava na escola, ainda no meu 7 ano e havia um tipo que fazia as cenas e deixava os outros, que as vezes nao faziam, copiar na boa. até que os outros deixaram de fazer mesmo os tpc's pq sabiam que ele os deixaria copiar. até que ele não deixou mais. abusaram. isso tb nao, mas agora emprestar uns apontamentos nao tem mal nenhum, como dizes.


pq serem uns agarrados de todo o tamanho? eu quando é assim nem sequer peço... fodo me é certo, mas pronto.

vinte e dois disse...

Sabes (bom, não sabes mas vou dizer), o meu primeiro ano de Universidade foi em Évora e depois passei para Aveiro. E vi uma diferença tão grande de camaradagem! Em Évora, a turma toda chegava a juntar-se para estudar em casa de quem tivesse a maior sala. Trocávamos apontamentos, dúvidas, entre-ajuda, era quase perfeito. Quando cheguei a Aveiro, foi o balde de água fria. Grupinhos, inveja, ninguém tinha apontamentos... enfim! ;)

Nomyia disse...

Sim senhor. Já viu que é um mal (quase) generalizado! Têm de se juntar todos e formar uma associação de apoio à vítima de não-empréstimo-de-apontamentos! Mas não haverá mesmo aqui alminha que tinha esse mesmo comportamento? Bem, o mal não é nosso: é dos outros :D
*****

js disse...

... eu por não ter tido problema em emprestar livros e trabalhos que fiz... acabei por ficar sem eles...
Portanto muitas vezes não emprestar não é uma questão de eguismo tem em vista não ficar sem as suas coisas...o que também é licito...

FORÇ'AÍ!
js de http://politicatsf.blogs.sapo.pt

Mónica disse...

é isso e o famoso espirito académico: vamos beber uns copos e tal mas os apontamentos nem vê-los LOL

há sempre excepções: fiz algumas disciplinas à custa de apontamentos dos outros (sem nunca ir às aulas) e sempre emprestei os meus de boa vontade...bom irritava-me um bocado emprestar a calões mas ok era tudo inveja!
e ainda tive pacientes explicações de alguns colegas que me aturavam na sala de estudo
e ainda entreguei exercicios feitos por uma colega como se fossem meus
bom, o que importa é ter amigos!!!!!!!!!!!

Mónica disse...

assim como há os marrões profissionais há os calões profissionais, o melhor mesmo é contar apenas com as nossas capacidades! e o que vier a mais é optimo!

Hizys disse...

eu empresto, mas quero de volta dois ou 3 dias depois :P é a mexeeeeeer

Anónimo disse...

Não censuro as pessoas que não emprestam os apontamentos. Não é por serem mazinhas, tem tudo a ver com a competição. Se um de vocês visse um colega a pedir apontamentos vossos e depois a passar com nota mais alta do que a vossa como é que se iriam sentir? Essa sensação não é nada boa, e pode facilmente acontecer uma coisa dessas. Um bocadinho de ambição e de forretice nunca fez mal a ninguém, muito pelo contrário. As pessoas não se devem habituar a ajudas, porque depois quando forem trabalhar não vão ter pessoas que lhes dêem a papinha toda feita! Deixem de ser preguiçosos e comecem a ir às aulas, ou então vão mas é trabalhar para as obras!