quarta-feira, outubro 15, 2008

Quase parece má fé

O tipo de cartas que a segurança social envia para casa. Aqui há uns tempos eu e a minha mãe recebemos cartas da segurança social a pedir algo que... nós não conseguimos perceber.
As ditas cartas começavam com uma linguagem jurídica fantástica: de acordo com o decreto-lei tal e tal, e depois alínea não sei quantas do artigo qualquer coisa era esperado que nós fizessemos alguma coisa!
E meus amigos, isto de ter curso superior não significa nada. E eu cheguei a ter uma cadeira de direito. Claro que conseguia perceber onde é que o assunto se enquadrava a nível do direito mas a linguagem que se seguia ainda conseguia ser mais complicada. Era um conjunto de redundâncias, repetições e um misto de palavras caras que eu fiquei a ver navios quanto ao teor das cartas.
Mas quando li valores "Alto e pára o baile!", que isto é sério e temos mesmo de ir à segurança social perceber o que é isto e tratar do assunto, senão começam-nos a inundar de cartas a dizer para pagar alguma multa por não ter feito não sei o quê em primeira instância. E que ah e tal não tinhamos desculpa porque recebemos uma primeira carta a dizer para tratar da nossa situação.
Bem, fomos lá, com "250 senhas à nossa frente, apenas para o balcão de atendimento geral = informações. Irra!" tratámos da nossa vidinha e vá lá nem era nada de especial. Só que se até eu não percebi metade do que dizia a carta o que não será de pessoas analfabetas ou cujo percurso escolar não está minimamente virado para as humanidades para que possam entender aquela estranha linguagem.
Se a ideia é diminuir burocracias, simplificar e até diminuir as filas (dava muito jeito), não é com cartas que mais parecem escritas por um advogado ou um político qualquer com a mania que o vão conseguir. É apenas mais uma forma de criar mais problemas às pessoas. Digo eu que um serviço social deveria ter em consideração as pessoas. É que não estamos a falar de linguagem simples. E o texto pode esconder algum assunto muito sério. Acho que se poupava muito tempo se as cartinhas viessem escritas em português corrente, que a maioria do português sabe interpretar. E quem sabe poupavam-se umas idas à segurança social e para a próxima não existam umas 250 pessoas à nossa frente para obter informações!

5 comentários:

Lu.a disse...

Concordo!!
Aqui há uns tempos também recebi uma carta da segurança social que dizia blá blá blá, decreto de lei, blá blá, artigo nº blá blá...aquilo era hebraico para mim!
Fui à segurança social, esperei que as 500 pessoas que estavam á minha frente fossem atendidas e pedi LITERALMENTE ao senhor que me atendeu que traduzisse para portugês corrente o que tava lá escrito...

Um Fox disse...

Segurança social... a unica coisa que eles nos seguram é chatices e € pa fora da nossa carteira... (exagero)

um mal de portugal... temos a mania que somos todos poetas, até os da segurança social... enviam cartas que para nós mais se assemelha a um livro de saramago traduzido para grego, mas que para eles é um conjunto de palavras que constroem frazes importantes e de grande relevancia... e que por sua vez está tudo escarrapachado...


mas agora te digo as vezes mesmo que as cartas sejam perceptiveis... os mais velhotes vão la sempre... não sei se é por habito de na feira regatearem os preços, quando vao a segurança social devem pensar que podem regatear valores e afins...

em relação as filas... normal... normal...é o mesmo que ir ao CATUS tirar a senha as 18 da tarde ir jantar a casa e voltar as 21 e ficar ainda meia hora a espera.

ci disse...

filas e filas e filas...ai bichasssssss....lool

beijos da ci

Alien David Sousa disse...

Pois é, ainda estou para perceber aonde se aplica o simplex. Não vejo grandes mudanças, mas, estou tão farta de falar deste governo que já estou sem forças, até para dizer mal

Beijinhos
p.s desconfio que essas cartas são escritas por um programa instalado num qualquer computador,talvez seja por isso que se tornam impossíveis de decifrar. O software está programado para atirar cá para fora umas quantas palavras e misturar tudo,o resulado está à vista.

Donnola disse...

sem dúvida tens toda a razão